Criptomoedas: o que aprendi perdendo dinheiro na alta histórica do Bitcoin

Dezembro de 2017 foi um mês insano no mercado de criptomoedas, em especial para Bitcoin (BTC) e outros ativos digitais. Você lembra das manchetes em portais de tudo o que é segmento? Veja alguns exemplos da época e trechos das notícias:

06/12/2017 – Por que o bitcoin valorizou tanto? Em um ano, passou de US$ 1 mil para quase US$ 13 mil

Este foi o ano do bitcoin para os investidores. A moeda digital que foi criada em 2008, começou 2017 custando aproximadamente US$ 1 mil e agora, na primeira semana de dezembro, está perto de atingir seu valor recorde de US$ 13 mil. Ou seja, se você tivesse colocado meros R$ 100 nisso no começo do ano, agora teria um décimo-terceiro de R$ 1.300. (Fonte: VIX)

07/12/2017 – Bitcoin continua a subir e se aproxima de US$ 17 mil

O bitcoin não para de bater recordes. Poucas horas antes, tinha superado pela primeira vez os 14 mil dólares. Em meados de outubro, a unidade da moeda valia 5 mil dólares. (Fonte: Exame)

16/12/2017: O grande dia do Bitcoin

Eis que 16/12/2017 foi ápice da história: Bitcoin atingiu quase US$ 20 mil (aproximadamente R$ 66 mil à época). Mais precisamente, a alta histórica do BTC fez a moeda valer US$ 19.665,39.

Bitcoin bateu recorde histórico em 16 de dezembro de 2017

As manchetes em toda a imprensa e o gráfico da Coindesk mostram bem o sentimento de Fear Of Missing Out (FOMO) que tomou conta do mundo naquele mês. Se você não está familiarizado com o termo FOMO, aqui vai uma síntese: é o medo de ficar de fora de algo, de não estar a par das novidades.

No caso das criptomoedas, seria o medo de não aproveitar um momento promissor como tudo indicava que era o do Bitcoin e de altcoins (como são conhecidas as moedas virtuais que surgiram após a criação do BTC, em 2008).

Veja exemplos do FOMO “na prática”:

19/12/2017 – João Bosco e Vinícius começam a vender shows em BitCoin

Venda de apresentação com pagamento em moeda virtual se iniciou nesta terça-feira (19), quando a cotação estava em cerca de R$ 60 mil. (Fonte: G1)

30/12/2017 – Brasileiros cruzam a fronteira para montar “fábricas” de bitcoin no Paraguai

Em busca de energia mais barata para “produzir” a moeda virtual, empresários se mudam para o país vizinho e instalam centenas de computadores em galpões improvisados; nos últimos 12 meses, bitcoin teve valorização de 1.300%. (Fonte: Estadão)

13/03/2018 – “Corretoras” de bitcoin crescem até 1.400% no faturamento em 2017

[…] as criptomoedas chamaram a atenção por suas grandes valorizações: hoje, tem até gente procurando seu HD com as moedas digitais no lixão. (Fonte: Exame).

Até mesmo o 50 cent ressurgiu das cinzas graças ao boom do Bitcoin.

25/01/2018 – Após declarar falência, rapper 50 cent descobre que tem mais de US$ 7 milhões em bitcoins

O rapper 50 Cent, que em 2015 declarou falência, viu sua situação financeira mudar completamente quase que instantaneamente. Nesta semana, ele contou que esqueceu que ganhou cerca de 700 bitcoins em 2014, valor que hoje gira em torno de US$ 7,7 milhões. (Fonte: InfoMoney)

O FOMO tomou conta, e eu comprei criptomoedas

Eu ainda sou um cara conservador quando o assunto é investimento. Ainda não coloco meu dinheiro em ativos que possuem algum tipo de risco, embora esteja aprendendo para futuramente investir em renda variável.

Acontece que dezembro de 2017 foi uma doideira mesmo, a ponto de eu não agir de forma racional e fugir do meu “conservadorismo financeiro”.

Amigos próximos e muito inteligentes estavam falando muito sobre o Bitcoin e como eles fizeram muito dinheiro por terem comprado a criptomoeda antes dos aumentos consecutivos do fim daquele ano. Com o Bitcoin acima dos R$ 60 mil, a conversa entre amigos era de que logo o BTC valeria R$ 100 mil.

As motivações para essas afirmações eram duas:

  • Primeiro, porque o Bitcoin é uma criptomoeda que, um dia, não será mais “produzida”. Isso porque existem “apenas” 21.000.000 BTC a serem minerados. Atualmente circulam no mercado 18.188.375 unidades do Bitcoin.
  • Segundo, porque muitos analistas e profissionais do mercado faziam previsões altíssimas como esta:

18/12/2017 – Respeitado analista prevê o Bitcoin valendo $400.000

Em uma entrevista com a CNBC, Ronnie Moas prevê que o Bitcoin aumentará em mais de 500% e valerá até US$ 400.000 dentro de 2 anos.

Em julho deste ano, Moas, um pesquisador de criptomoedas e fundador da pesquisa de pontos de vista, previu que o Bitcoin chegaria a US$ 5.000 quando valia US$ 2.600.

A previsão anterior de Moas em julho já se tornou realidade, com um aumento de 500% no valor de Bitcoin. No momento da postagem, o Bitcoin está negociando a US$ 18.800 na Coinbase. (Fonte: Guia do Bitcoin).

Depois de enfrentar uma série de congestionamentos para criar conta em uma corretora de criptomoedas, em 21/12/2017 finalmente comprei Bitcoin. Investi aproximadamente 2/3 do meu salário da época. Naquele dia, a maior cotação do BTC foi US$ 17.333,00, e o dólar valia R$ 3,18.

Apesar da emoção do momento, não fiz uma loucura tão louca assim.

Não comprometi minha reserva financeira nem o fluxo de caixa da casa naquele mês. Mas sei que nem todo mundo pensa da mesma forma que eu, e é principalmente para essas pessoas que escrevi este artigo, pois muita gente pode colocar até dinheiro que não tem acreditando que vai enriquecer em poucos meses.

Guarde esta frase: Não existe dinheiro fácil e rápido.

Ascensão e queda do Bitcoin

A partir do momento que decidi criar conta em corretora para comprar Bitcoin, passei a me informar sobre o mercado de criptomoedas. Minhas fontes preferidas eram canais no Telegram de sites especializados e um aplicativo com gráficos em tempo real do preço do Bitcoin e das principais altcoins.

Não demorou muito para outro tipo de notícia tomar conta da mídia.

23/12/2017 – Por que o bitcoin chegou a perder um terço de seu valor em uma semana

A montanha-russa da moeda virtual continua. Depois de cair de cerca de US$ 20 mil para US$ 12 mil, voltou a subir para US$ 15 mil. Tudo isso em menos de uma semana. (Fonte: G1 / BBC).

Como a história nos mostrou, o Bitcoin nunca ultrapassou o valor conquistado em 16/12/2017. Isso significa que a previsão de US$ 400.000 nunca se concretizou.

Com o passar das semanas, alguns amigos começaram a fazer Day Trade de altcoins como Ethereum (ETH), IOTA e Ripple (XRP). Essas criptomoedas estavam valorizando bem no período, fazendo com que sites especializados e analistas estimulassem a compra.

Um pouco antes desse papo de compra de altcoins, manchetes como essa apareceram:

13/12/2017 – Qual é a criptomoeda que se valorizou 800% em um mês – e não é o bitcoin

IOTA teve crescimento enorme nos últimos dias; ela utiliza tecnologia diferente e está ligada à chamada internet das coisas, que faz a comunicação via rede entre objetos e equipamentos. (Fonte: G1 / BBC).

Ethereum, a principal altcoin do mercado, também estava se saindo muito bem:

04/01/2018 – Bombou! Preço do Ethereum atinge $1.000, se aproximando da capitalização de mercado de $100 bilhões de dólares

Apenas quatro dias foram marcados no calendário, mas janeiro já foi um mês excelente para os mercados de altcoins. Neste breve período, o valor combinado dos limites de mercado de altcoins aumentou em mais de US$ 140 bilhões, e as altcoins agora representam mais de 2/3 do limite de mercado das criptomoedas no geral. No início desta semana, a Ripple tornou-se a primeira altcoin a atingir um limite de mercado de US$ 100 bilhões, e o Ethereum agora parece estar pronto para adicionar seu nome a esta lista exclusiva. (Fonte: Guia do Bitcoin).

Tudo isso me fez pensar se eu deveria usar meus BTC para comprar alguma altcoin e tentar ao menos ficar no zero a zero.

FOMO contra-ataca

Um dos sites que eu acompanhava começou a falar muito sobre uma criptomoeda chamada Aeron (ARN). Ela vinha se valorizando bem no começo de 2018, então decidi conhecer mais sobre o projeto.

Na mesma época, um amigo me disse que, se eu quisesse comprar IOTA, aquele era o momento, pois em menos de um mês a Microsoft lançaria uma carteira digital para armazenar a criptomoeda em segurança. Segundo ele, com a adoção de uma grande empresa de tecnologia, muitos adeptos das moedas virtuais iriam comprar esse ativo, o que o faria valorizar muito.

Foi então que decidi investir mais 1/4 do meu salário para comprar Bitcoin, a fim de usar o BTC para investir em IOTA e Aeron e tentar ficar no zero a zero com meus investimentos em criptomoedas – pelo menos. Acompanhei com atenção ambas moedas e as comprei em um bom momento de desvalorização.

Em 19/01/2018 comprei IOTA quando cada unidade valia US$ 2,68. Dias depois, em 01/02/2018, comprei Aeron quando a unidade estava avaliada em US$ 2,09.

A título de curiosidade, o preço de ambas hoje (29/01/2020) é:

1 IOTA = US$ 0,28

1 Aeron = US$ 0,11

Enfim, cansei e decidi não tentar recuperar o dinheiro investido. Se no futuro as criptomoedas, ou pelo menos o Bitcoin, forem utilizados de forma prática no dia a dia do mundo, possivelmente o valor de mercado será alto. Então, ao menos terei uns trocados guardados até lá.

Sigo acompanhando frequentemente as notícias sobre o mercado de criptomoedas, mas não tomei mais nenhuma iniciativa no ramo. E isso me fez perceber um padrão…

As pessoas sabem o que estão fazendo com criptomoedas?

O Bitcoin foi a primeira criptomoeda desenvolvida. Isso foi em 2008, mas como a tecnologia avança cada vez mais rapidamente, novos projetos surgem, e o mercado financeiro e regulatório está em constante atividade. Assim como as moedas tradicionais, tudo pode influenciar o preço dos ativos digitais.

Apesar de ter se iniciado há mais de 10 anos, acredito que podemos dizer que Bitcoin, blockchain e criptomoedas em geral ainda são assuntos novos por conta das constantes mudanças.

É por isso que muitos analistas fazem previsões de ascensão e queda de criptomoedas, sendo que a maioria não dá em nada. E é sério, isso é um comportamento padrão. Veja:

Momentos de alta valorização de criptomoedas, em especial o Bitcoin, geram FOMO e atraem investidores inexperientes na esperança de enriquecimento rápido
Momentos de alta valorização de criptomoedas, em especial o Bitcoin, geram FOMO e atraem investidores inexperientes na esperança de enriquecimento rápido
Fonte: Portal do Bitcoin
Momentos de alta valorização de criptomoedas, em especial o Bitcoin, geram FOMO e atraem investidores inexperientes na esperança de enriquecimento rápido

Mas também há alguns alardes pessimistas como a previsão abaixo, de 2018, que não se concretizou:

Momentos de alta valorização de criptomoedas, em especial o Bitcoin, geram FOMO e atraem investidores inexperientes na esperança de enriquecimento rápido

Isso me fez perceber que poucos realmente sabem o que estão fazendo no mercado de criptos. E aí é que está o ponto: elas estão fazendo, não falando.

No mercado de criptomoedas, a melhor decisão cabe a você

O Bitcoin valorizou quase R$ 10 mil nos últimos 30 dias (entre 29/12/2019 e 29/01/2020). Momentos de crescimento constante, como o atual, ou de um salto absurdamente alto, como em 2017, tendem a gerar sensacionalismo e agravar o FOMO.

Momentos de alta valorização de criptomoedas, em especial o Bitcoin, geram FOMO e atraem investidores inexperientes na esperança de enriquecimento rápido

Se você deseja entrar no mercado de criptomoedas em momento aparentemente promissor com o objetivo de ganhar muito dinheiro fácil e rapidamente, aprenda essa verdade universal:

Não existe dinheiro fácil e rápido.

Se houvesse uma receita para dinheiro fácil, todo mundo teria dinheiro aos montes. Idem para enriquecimento rápido. Aliás, enriquecimento rápido quase sempre é um argumento usado por pirâmides. Saiba que existem pirâmides aos montes também no mercado de criptomoedas.

Como você chegou até aqui, acredito que realmente tem interesse em aprender com quem errou para não cometer os mesmos erros. Errar faz parte do aprendizado de todo mundo, mas é sempre bom aprender com a experiência de outras pessoas para evitar alguns percalços.

Então, veja algumas sugestões rápidas e básicas para entrar no mercado com segurança:

1 – Estude blockchain e Bitcoin

Você vai ver gente falando para não estudar blockchain, apenas focar em Bitcoin. Já vi isso Twitter afora. Acontece que blockchain é a “base” do Bitcoin e de várias altcoins. Portanto, dedique atenção também à essa promissora tecnologia.

2 – Forme sua própria opinião

É importante ficar atento ao mercado político e financeiro em nível global, não apenas ao mundo das criptomoedas. Seguir sites e analistas especializados é útil, mas se você deseja realmente ser ativo no ramo, siga a dica 1 e busque sempre formar sua própria opinião.

3 – Invista o que você pode perder

Você deve ter percebido que o mercado de moedas digitais é altamente volátil e especulativo, a ponto de uma moeda valorizar US$ 2.000 em um dia. Por isso, é fundamental destinar uma parcela do seu orçamento que não vá afetar drasticamente sua reserva financeira.

4 – Guarde criptomoedas em carteiras digitais

Desde o boom do Bitcoin se tornou frequente vermos corretoras e plataformas de trade serem hackeadas. Você precisa das corretoras para comprar Bitcoin e algumas outras criptomoedas diretamente. Digo diretamente porque o Bitcoin é a porta de entrada para adquirir diversas outras altcoins, não sendo possível comprá-las com moedas tradicionais.

Após efetuar a compra, se você não se tornar um Day Trader, é importante que você armazene suas moedas em carteiras digitais e siga outras medidas de segurança, como manter um antivírus atualizado em seu computador e não armazenar senhas em ambientes digitais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *